Summary

I - Nas acções de revisão e confirmação de sentença estrangeira não podem ser havidos como não provados factos que o Tribunal estrangeiro, segundo a sua actividade legal, tenha dado como demonstrados.
II - Se a autora tivesse accionado o reu em Portugal com base em fundamentos de agressão moral e fisica, adulterio, e separação de facto por mais de seis anos, o Tribunal portugues tambem poderia sentenciar nos termos em que o fez o Tribunal da Africa do Sul.

Decision

NEGADA A REVISTA.

Case connections:

Show graph

Universal Decimal Classification (UDC):

Suggest subject area

This decision has been made publicly available by the Institute of Information Technologies in Justice.

As part of our ongoing effort to protect personal data, this case was last updated on 30 June 2014. So far, it has been updated 1 time.
Top